História

História da Cidade


Fundação

 

9 de abril de 1949 (67 anos).

A maioria das famílias tradicionais são constituídas de descendentes de imigrantes europeus, em sua maioria italianos, alemães, portugueses e em menor número algumas famílias de origem russa, austríaca e espanhola, que se estabeleceram na região graças a reforma agrária instituída no fim do século XIX.

Dentre os pioneiros, destacam-se os de sobrenome ''Andrade'', "Abib", "Alonso", "Oliveira","Leitao","Battel", "Macota", "Baraldi", "Doring", "Brucieri","Boró", "Corrêa", "Moreira", "Corte", "Fadel","Bollella","Campos", "Ferreira de Melo", "Filipini", "Fisher", "Kammer", "Maiochi", ''Mano'', ''Melo'', "Metzker", "Paulo", "Peris", "Pianca", "Pulz", "Rossi", "Tetzner", "Barros", " Camargo", "Ferreira", entre outros. O município é agradável, organizado e relativamente pacato, levando-se em conta os níveis de violência que assolam o país.


História da linha férrea

 

Conchal desenvolveu-se a partir da estação ferroviária do município. A Cia. Carril Funilense foi inaugurada em 18 de setembro de 1899 pela Cia. Agrícola Funilense, de Funil (hoje Cosmópolis), com bitola de 60 cm, saindo do centro de Campinas e chegando até a atual Cosmópolis, na época chamada de Barão Geraldo de Resende.

Em 1904, por parte de um empréstimo não honrado, o Governo do Estado ficou com a ferrovia.

Em 1906, a bitola foi ampliada para a métrica; em 1913, a ferrovia já chegava ao seu ponto máximo, em Pádua Salles, margem do rio Mogi Guaçu. Em 01 de setembro de 1921, a Sorocabana incorporou a linha, que em 1924 passou a sair da nova estação da EFS em Campinas, e com o nome de Ramal de Pádua Salles, com 93 quilômetros.

A linha foi fechada no início de 1960, tendo os trilhos arrancados pouco tempo depois.

Hoje são bem poucos os resquícios da velha Funilense.

 

Estação

 

A estação de Conchal foi inaugurada em 1913 pela Funilense, para atender o núcleo colonial Visconde de Parnaíba, estabelecido pelo Governo do Estado dois anos antes, em terras da fazenda Conchal, então pertencente ao município de Mogi Mirim.

O município formou-se a partir do núcleo colonial e a estação tomou o nome da fazenda, pois foi o dono desta fazenda, Alfredo Eduardo de Oliveira, que fez o acordo de terras com a ferrovia. Em 1921, passou a fazer parte da malha da Sorocabana, que passou a administrar a linha, incorporando-a sob o nome de ramal de Pádua Salles.

A estação foi desativada em 1960, com a linha, mas ainda existe: restaurada, não tem mais a cobertura da plataforma. Está ali, no fim da cidade, parcialmente conservada e servindo às escolas, com um pátio enorme à sua volta.

 

História Político-Administrativa de Conchal

 

Primeiros Tempos


Conchal recanto aprazível da grande terra paulista e do Brasil teve seu início como Núcleo Colonial do Estado de São Paulo.
As atuais terras formaram no passado três grandes fazendas: Nova Zelândia, Ferraz e Leme.
Em 1911 essas terras foram divididas em dois núcleos coloniais: Visconde de Indaiatuba e Conde de Parnaíba que formam hoje o município de Conchal.
Esses núcleos tivéramos principais diretores os senhores Cel. Antonio Benedito de Oliveira Ferraz, em 1914 foi substituído pelo Sr. Camilo Chagas e em 1919 pelo Sr. João Batista de Oliveira Luz.
Por causa da Malária o Governo, construiu uma casa de tábuas para servir de Santa Casa. As casas também eram de madeira.
Em 1911 e 1912 o governo procedeu obras de saneamento para combater a malária.
Em 1913 foi inaugurada a Estação Férrea, que chegou então o 1º trem.
Em 1919 os dois núcleos foram transformados em um Distrito de Paz do Município de Mogi Mirim. Passou-se então a chamar Engenheiro Coelho e mudando depois para Conchal, nome que conserva até hoje.
Em 1921 o Presidente Dr. Washington Luís veio visitar esta terra e foi recebido com festas.
Alguns dos Sub-Prefeitos: Tobias Garcia, Antonio Bueno de Moraes, Argemiro Corte, Primo Rebessi, este foi o último. E ainda em 1921, foi criada a Paróquia Sagrado Coração de Jesus.


Lutas Políticas

 

Como todo o interior teve também lutas políticas, ora grandes, ora pequenas.
Em 1923 foi inaugurada a iluminação elétrica graças à colaboração de chefes políticos de Mogi Mirim e Araras.
Os primeiros da atual cidade datam do ano 1906 ao tempo da mata brava foram eles: Basílio Guidoti, Luiz Felipini, Misael de Lima, Joaquim de Lima e Basílio Pires.
Em 1944 houve uma forte luta que desuniu o povo, separando em duas partes: Uma queria passar pertencer a Araras e outra a Mogi Mirim, dividindo o povo em Mogianos e Ararenses.
Ficou resolvido que passaria a pertencer a Mogi Mirim.

 

Lutas pelo município

 

O Governador Ademar de Barros em 1947, promulgou a Lei Orgânica dos municípios de São Paulo. Baseados nessa lei os conchalenses liderados por Francisco Magnusson, Egydio Corte e José Galves Guerra iniciaram o movimento para elevação a município.
Em 05 de Abril de 1948, reuniu no Cine Paratodos (havia um grande cinema nessa época em Conchal) todos os segmentos da sociedade, comércio, indústria, lavoura e o povo em geral para o movimento pró município. Esse movimento veio unir todo o povo conchalense, novamente em favor do futuro e da grandeza da nossa terra.
Houve um plebiscito de consulta ao povo, para que decidissem a favor ou contra a criação do município. O resultado foi de 627 votos a favor e 27 contra.
Conchal então recebe os homens que tanto lutaram por sua emancipação, dentre eles o Deputado Dr. Ulysses Guimarães, que recebeu grandes homenagens.
Em 24 de Dezembro de 1948 pela Lei nº233 da Assembléia Legislativa do Estado e promulgada pelo Governador Ademar de Barros, Conchal foi elevada Município. Estava então consagrado o ideal de um povo.

 

Instalação do Município

 

No dia 01 de Janeiro de 1949 instalou-se provisoriamente o novo município.

 

Primeiras Eleições

 

Dia 13 de Março de 1949 todos tomaram posse em sessão solene, por esse motivo que foi decretado o dia do município em 9 de Abril. Os prefeitos de Conchal de 1949 até hoje:

• 1º Francisco Magnusson 1949/1953
• 2º Anselmo Zani 1953/1957
• 3º José Ferreira de Melo 1957/1961
• 4º Anselmo Zani 1961/1965
• 5º Nelson Gomens Esteves da Cunha 1965/1969
• 6° Egydio Corte 1969/1973
• 7º Salvador Leitão 1973/1977
• 8º Bento Laerte Ferreira de Melo 1977/1983
• 9º Egydio Corte 1983/1988
• 10º Wilson Lozano 1989/1992
• 11º Santo Waldemar Ferreira de Melo 1993/1996
• 12º Bento Laerte Ferreira de Melo 1997/2000
• 13º Valdeci Aparecido Lourenço 2001/2004
• 14º Valdeci Aparecido Lourenço 2005/2008
• 15º Orlando Caleffi Junior 2009/2012
• 16º Valdeci Aparecido Lourenço 2013/2016
• 17º Luiz Vanderlei Magnusson (atual)

 

Alguns Videos Históricos da nossa Cidade: